tin can phone

Frequentemente as pessoas querem saber se o Prove® é ou não eficiente e, em quanto tempo irão emagrecer?

Antes de qualquer coisa, gostaríamos de enfatizar que o Prove não tem como princípio a comparação ou a competição entre os seus participantes, acreditamos que onde há comparação e competição, sempre haverá conflitos, divisão, separação e violência entre as pessoas, de modo que não incentivamos tais coisas, ao contrário, cuidamos para que o sujeito obeso desperte, sua capacidade e discernimento para assumir os riscos de fazer suas próprias escolhas.

Portanto, o nosso enfoque não está centrado tão somente nos atributos físicos, no que diz respeito a subir e descer da balança ora com ares de satisfação por ter emagrecido, ora com ares de decepção por ter engordado, mas principalmente, nos aspectos subjetivos, que reverberam no corpo físico como consequência da singularidade de cada pessoa.

Assim, as questões relacionadas ao “antes e ao depois” ao “quer emagrecer fale comigo”; “dar vivas àquele que emagreceu publicamente”, não faz parte dos princípios do Prove, tampouco a exposição física de nossos clientes que emagreceram, com o intuito de conquistar futuros clientes.

Acreditamos que a indicação “boca a boca”, a nossa própria experiência de mais de 30 anos, são suficientes para a credibilidade do Prove. Desejamos que as pessoas nos procurem guiadas por um mínimo de sensatez e, menos pelos artifícios dos truques de marketing, até porque, temos um índice médio de aproveitamento, ou seja, de emagrecimento em torno de 90%, isto significa que em cada 10 pessoas, 9 emagrecem.

Entendemos que o emagrecimento não é algo que deva ser vendido como se fosse uma mercadoria qualquer, pelo contrário, emagrecer é um processo complexo que envolve toda uma história de vida da pessoa, ora por acontecimentos psicológicos e/ou físicos recentes ou por questões relacionadas à história sócio-familiar de cada um.

De modo que o Prove, não tem a pretensão de operar milagres emagrecendo as pessoas de um dia para o outro, até porque, entendemos que emagrecer demanda cuidados por toda a vida, é algo que pode e deve ser tratado naturalmente, sem medicamentos ou cirurgias, salvo em determinados casos, como por exemplo, nas obesidades mórbidas que expõem as pessoas a risco de morte, ou naqueles em que a pessoa atinge um estado de emocionalidade patológica tal, que não dispõe de forças, capacidade ou vontade própria para o tratamento a médio ou a longo prazo.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado