images (1)

Cura da Obesidade 

O estado de plena saúde definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é o seguinte: “Saúde não é apenas a ausência de doença, mas uma situação de perfeito bem-estar físico, mental e social.”

A pergunta que devemos fazer a nós mesmos é: Existe alguém em “perfeito bem-estar físico, mental e social”?

Não é que não exista, mas acredito, ser bastante restrito as pessoas que desfrutam deste estado “perfeito” de saúde. Penso haver sempre, uma falta a ser preenchida por nós, seja ela de natureza física, psíquica ou social.

Seguindo ao pé da letra essa definição da OMS, a obesidade é uma doença, afinal, mesmo que o sujeito obeso, apresente um estado de ausência de doença, ainda assim não gozará de um perfeito bem-estar físico, mental e/ou social.

No entanto, o problema não para por aí, a questão principal é que ao enquadrar a obesidade neste conceito, abriu a porta para que as pessoas obesas fossem vistas, tratadas e pasmem, discriminadas pela sociedade, com os mais diversos estigmas, como por exemplo, de preguiçosas, gulosas etc.

Com este arcabouço estruturado, a ciência médica amparada pela tecnologia, resolveu “curar” as pessoas obesas via medicamentos e cirurgias.

Talvez, devêssemos perguntar o seguinte: É possível “curar da obesidade” as pessoas obesas?

Podemos verificar por nós mesmos, que não, não nos moldes da cura preconizada pela medicina. A obesidade não é especificamente uma doença meramente física, mas sobretudo psíquica, portanto, é de natureza Psicossomática.

Na obesidade a ideia de cura preconizada pela medicina não é possível, seria como calar as vozes e sonhos do inconsciente dessas pessoas. Isto não se faz silenciando-as com medicamentos ou, mutilando seus corpos.

Rosane Camargos – Psicóloga Orientadora do Prove – Programa de Valorização da Vida pelo Emagrecimento Saudável. Fone: 61-3356-4428 –98155-0614

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado