alimentacao-saudavel-pode-evitar-doencas-relacionadas-a-obesidade

Que sugestão você daria para o João que está obeso, ingerindo uma grande variedade de carnes gordurosas e salgadas – churrascos e feijoadas nos finais de semana -, guloseimas, bebidas alcoólicas, refrigerantes fora e dentro das refeições e que é fumante e sedentário?

O estilo de vida do João, levou-o às seguintes consequências: obesidade grau II, diabete, hipertensão, dores no corpo, cálculos biliares e renais, colesterol e triglicerídeos nas alturas, apneia do sono, insônia, cansaço, dificuldade para respirar, enfim, o que você diria para essa pessoa que está se matando?

Seguindo o mesmo raciocínio, o que você diria para a Maria que está magérrima, que não toma o café da manhã, tão pouco o lanche da manhã e da tarde, que cortou glúten e lactose, que toma sheik no almoço e no jantar, não ingere guloseimas, passa horas na academia e, que usa diariamente suplementos para adquirir músculos e barriga tanquinho?

A Maria tem feito do seu corpo um verdadeiro laboratório ambulante, apresenta disfunção da imagem corporal – não se vê magra -, conta calorias em tudo que põe na boca, vasculha a internet em busca de assuntos relacionados à performance, beleza e suplementos, tem mania de interferir no que as pessoas estão comendo, age como dona da verdade, enfim, o que você diria à Maria?

João e Maria, não são os únicos nessas situações do “tudo ou nada”. Por incrível que possa parecer, existem milhares de Joãos e Marias espalhados pelo mundo, convictos de que estão absolutamente certos.

O equilíbrio entre os opostos é importante, pois é assim que eles se apresentam no Universo: noite-dia, alegria-tristeza, gordo-magro, alto-baixo, novo-velho, fome-saciedade, doce-amargo, Yin-Yang, etc.

No cotidiano, os opostos se apresentam separados, daí a dificuldade do João em perceber que o exagero para saciar sua fome, está lhe matando aos poucos. E tão pouco dá para Maria perceber que já está suficientemente magra.

Por outro lado, Florinda faz diferente, chegou ao peso ideal, segue a cartilha do PROVE, não se excede, alimenta-se à base de pouca carne ou nenhuma, adora verduras, legumes, cereais integrais, laticínios, faz prevenção médica e exercícios físicos regularmente, está em plena forma física e feliz consigo mesma.

Portanto, uma alimentação saudável, não está no exagero e muito menos na carência, está simplesmente, na harmonia dos opostos.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado