Blog_Dois em um

É possível sentar-se à mesa e tornar-se testemunha de si próprio? Sentado à mesa ou aonde estiver você estará sempre dividido entre aquele que está se servindo e o outro que está observando.

Embora você se veja sentado à mesa como sendo uma única pessoa, com todos os seus dotes físicos à mostra, com um nome que o identifica como sendo o fulano de tal, no fundo, você é “Dois em Um”.

Neste exato momento você está dividido entre aquele que lê e o outro que interpreta este informativo. Isto tornou possível porque você tem um nome que recebeu dos seus pais e um corpo físico que você chama de seu.

Seu próprio corpo, você o vê separado, como sendo algo que te pertence. Embora não se dê conta, você diz que tem um corpo, assim como diz que tem uma geladeira, um veículo, um esposo (a), namorado (a) e segue assim pela vida – dividido -, pensando uma coisa e fazendo outra completamente diferente.

Afinal, é possível pelo menos à mesa sentir-se único, indivisível? É possível perceber que a obesidade reflete a ação daquele que come em detrimento daquele que apenas observa? É possível perceber que existem duas vontades atuando dentro de você nos momentos em que está comendo, como por exemplo, aquela que come e censura e a outra que observa?

Por último as perguntas que devemos fazer a nós mesmos são as seguintes: é possível que o observador ou testemunho controle a ação do sujeito, ou seja, daquele que come? Esta questão é muito importante para tudo que fizer na vida, inclusive emagrecer. De modo que, a resposta não está distante, ao contrário, se encontra em você mesmo, no recôndito de sua alma. Vamos procura-la juntos?

Primeiramente você precisa compreender que estar obeso, é uma condição adquirida, não importa aqui discutir suas causas, se é por sedentarismo e/ou por comer exageradamente, compulsão, melancolia, distúrbios hormonais, hereditariedade e etc. O que importa é que todas essas manifestações, surgem necessariamente pelo conflito entre aquele que pensa, age, culpa e, aquele que tão somente observa como se fosse uma mera testemunha.

O que nos permite unificar essas duas forças chama-se autogestão, ou seja, a capacidade de gerir a si mesmo.

Portanto, existe um espaço entre aquele que faz e o outro que observa, é neste espaço que você irá encontrar a placidez, serenidade e paz, diante dos conflitos que o impedem de comer com sensatez como por exemplo, de descansar calmamente os talheres sobre o prato quando estiver mastigando, de apreciar o colorido, textura e o sabor dos alimentos, de conter-se nas quantidades, enfim, de sentir-se unificado e agradecido pela comida à mesa. Este exercício chama-se meditação. Meditando diariamente encontrará o ponto de equilíbrio – o caminho do meio.

11

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado